• Carol Lara

Cubatão Sur Mer, preparativos e o nosso primeiro passeio de Dinghy!

Como é melhor estar na água do que em terra! Começamos a semana muito focados nos preparativos finais para velejarmos, já que a nossa vista aqui não é exatamente aquilo que se espera da Cote D’Azur. Inclusive, apelidamos carinhosamente nosso visual de Cubatão Sur Mer. Mas, independente disso, o clima maravilhoso, e o fim da fase 1 da quarentena no dia 02/06 está nos animando demais! Por isso, cuidamos de fazer as revisões que consideramos fundamentais antes de sair. Fizemos a troca do óleo do gerador e do motor, troca de filtros. Além disso, rodamos o nosso ar condicionado depois de uma bela limpeza – e ele está maravilhoso – fica tão geladinho que nem os pernilongos se atrevem a entrar! Por fim, conseguimos tirar as duas rodas de leme (estava complicado viu?) para dar uma manutenção e fazer a limpeza.

Na 3ª feira, nossos queridos amigos australianos do Pasha foram embora. Já estamos sentindo saudades daMichelle Madder, do Allan, daTilly Maddere doFinn Cantrill! Todos se despedindo, foi bonito de ver. Com a saída deles, uma vaga no píer foi liberada, mas estávamos confortáveis em estar onde estávamos – só que a barcaça resolveu se mexer de vaga, e a gente acabou ficando próximos ao píer, que é super bom por conveniência, mas tem a desvantagem de ter alguém parado a contra bordo diversas vezes, e a internet que já é bem ruim, pega pior aqui do que lá... vai entender! Aproveitei também para chamar o caminhão de diesel e abastecer os barcos de toda a turma aqui do píer - foi ótimo e estamos com o tanque cheiasso: só falta sair!

Fomos na Fluid-Elec (acastilagem) e tivemos a ingrata surpresa da semana: como nossa balsa salva-vidas tem mais de 10 anos e não estava revisada há algum tempo, custaria mais de 800 euros pra fazer a revisão. O Eric, que trabalha lá, me alertou que não valeria a pena – afinal, teríamos que revisar a balsa anualmente a partir de agora, e isso acabaria saindo mais caro do que uma balsa nova.

Voltamos um pouco chateados com essa novidade, mas não deixamos isso nos abalar: pesquisamos online em diversas lojas o preço da balsa, o prazo da entrega e tudo o mais, e já estávamos vendo que isso atrasaria nossos planos... que terror! Tive a ideia de olhar no site da UShip, a acastilagem caríssima de Port Napoleon, e adivinha: a promoção de balsa estava no ar, fazendo com que a balsa saísse mais barata do que em qualquer um dos outros sites que pesquisamos! Liguei lá e reservei a balsa, que será entregue na 6ª feira.

Com isso, fomos de bike até Port Napoleon pagar a reserva da balsa. Ainda bem que nunca tínhamos ido lá, porque a loja, apesar de caríssima, é fantástica. Tem tudo, é enorme e organizada, literalmente uma tentação. Feito o pagamento, fomos dar uma volta na marina, que é bem chique e arrumadinha, e no retorno resolvemos passar na praia onde as pessoas fazem kite surf aqui – como venta muito em Port Saint Louis du Rhone, a cidade se tornou um polo importantíssimo de kite surf, e centenas de surfistas de vento se amontoam na água fazendo suas manobras. Muito bonito mesmo!

Na volta, a minha bicicleta que tem dado problemas sequenciais, resolveu quebrar mais uma vez, e voltamos empurrando a bici até em casa. De noite tivemos happy hour no Eagle, casa dos nossos amigos Suecos, e começamos a falar sobre organizar um roteiro em comum para todos, com distância de radio VHF, assim teremos uma flotilha indo para a Córsega. Estão todos muito animados – e se preparando para a saída o mais rápido possível!

Sábado acordamos com uma baita preguiça - confesso – e enrolamos a manhã inteira. Cabulei todas as atividades que deveria ter feito, e quando vi, já era hora do almoço. Preparei um couscous com frango desfiado e outras delícias, e já era hora de sair com a Kika Dias Boyer! Ah, como eu adoro os passeios com a minha amiga. Ela me buscou aqui e fomos na Decatlhon tentar comprar um colete neon de segurança para ela usar no trabalho, enquanto eu procurava uma peça da bicicleta – que não tinha – e depois na Auchan, um supermercado sensacional que tem aqui – onde eu troquei de carrinho com alguém e perdi as sacolas da Kika e umas coisas que tinha escolhido antes da troca. Só fui perceber quando cheguei no caixa e o token que a gente usa para pegar o carrinho tinha mudado de cor, magicamente: o meu era vermelho e tinha virado verde! Que besteira hahaha! Ficamos quase 5h nessas comprinhas, e eu já estou começando a comprar algumas coisas em excesso para termos estoque no barco – e quando chegamos de volta foi uma correria doida, quase atrasamos oJerome Boyer para o trabalho dele, a gente esqueceu completamente que ele iria usar o carro! De noite, participamos da Live com o Veleiro Ikaroa, e achamos a experiência deliciosa! Acho que quando a gente começa a contar das coisas que fez, aprendeu, viveu – a noção de que não foi pouco se exacerba, e a gente fica bastante orgulhoso do que alcançou, e de como passamos esse confinamento unidos, progredindo e curtindo. O grande problema da live foi mesmo a internet – tive que usar o 4G do meu celular que é italiano e está em roaming na França – ou seja, vai acabar em breve. Por isso, antes de partirmos daqui precisamos urgentemente resolver esse assunto e comprar um chip 4G com bastante dados, aqui na França. Mas, claro que eles não vão facilitar né? De cara já vi que precisa ter um endereço (que ok, esse a gente tem) e uma conta em banco, da França. Ô falta de vontade de vender as coisas viu? Vamos ver como é que eu vou desenrolar essa!

O domingo começou quente e ensolarado, e pela primeira vez desde que eu cheguei aqui eu dormi a manhã toda. Acho que a canseira finalmente me pegou! Mas, acordamos, tomamos um café da manhã bem gostoso e preguiçoso, e ficamos no cockpit conversando. E aí, apareceu o Ben, depois a Sandra e o Per, e eu disse: Ah, quero ir pra praia! Não demorou um minuto para todo mundo se convencer da aventura, e pegamos o dinghy da Sandra e do Per (que estavam doidos por um Dinghy Ride) e fomos na praia aqui perto. Pela primeira vez em 3 longos meses. Foi muito gostoso! Finalmente aquela sensação de que viemos para curtir e estamos curtindo. Mesmo que a vista de Cubatão Sur Mer não seja fantástica, só de entrar na água e fazer um passeio de botinho já foi sensacional! Curtimos muito cada minutinho desse passeio, canga na areia, petiscos e cervejas, e voltamos realizados e felizes. Bem que eu pedi por semanas cada vez melhores, e a vida realmente está entregando! E que assim seja :) Bons ventos!

Cervejinha no nosso primeiro Dinghy Ride!

0 visualização
  • Instagram
  • Facebook

Sailing Saba - Charters, Turismo, Férias a bordo de um veleiro na Europa - Croácia e Sardenha