• Carol Lara

Breaking Spree vs. Fixing Spree! Tudo fica bem!

Na 3ª feira, como contei, fomos para Avignon fazer compras. Entendam, por favor, que o meu novo “fazer compras” não tem nada a ver com voltas no Iguatemi: foram 2 lojas de material de construção, 1 Declathlon e um Carrefour! Mas foi divertidíssimo. O Per e a Sandra foram com a gente e conseguimos nos abastecer bem! Na Decathlon inclusive fomos barrados porque não tínhamos máscaras e fizemos umas improvisadas alí na hora com paninhos de microfibra que tínhamos comprado na Bricoman. Demos risada pacas do nosso layout bang-bang! Voltamos exaustos e um pouco chateados que não tínhamos conseguido comprar o cabo de nylon para nossa âncora de tempestade porque a resistência do que encontramos era muito baixa! No dia seguinte, fomos testar nossas placas solares e – surpresa: microvolts. Microvolts são terríveis: significa que não tem quase nada de energia passando, e que, portanto, algo estava queimado. Multímetro para lá, multímetro para cá, e conclusão: mais uma despesa: novas placas solares, além dos cabos novos que precisaríamos encontrar online. Mas, dessa vez, tivemos pouca dificuldade: achamos tudo a bom preço, e os e-commerces funcionaram bem (ou será que estamos acostumando?). A coisa boa dessa semana é que com o fim do confinamento todo mundo está um pouco mais animado, as pessoas estão na rua, e por aí vai, mas aqui na marina, especialmente no começo da semana, todos estavam para lá de contentes com o fato de poder, no mínimo, navegar 53 milhas náuticas e voltar. Até fazer planos pra ir às cidades feiosas (estamos numa região bem industrial) as pessoas estavam fazendo. Mas, um balde de água fria veio na 4ª feira, quando o CEO da marina nos avisou que não, a navegação estava suspensa novamente. Apenas para explicar como funciona, a França tem várias regiões (como os estados brasileiros) e cada uma dessas regiões tem um prefeito. Além das regiões terrestres, ela tem 2 regiões marítimas, Mediteranée e Atlantique. Pois bem, as prefeituras marítimas, que controlam os mares a partir de 300m da costa, liberaram a navegação, mas esses 300m dependem de cada uma das prefeituras terrestres – que tomam suas decisões como acharem melhor. E a nossa, de Provence Alpes Cote D’Azur achou melhor fechar. Ou seja, se sair, não pode voltar. Fuém, resolvemos mudar a data da nossa descida para a água e ganhar um tempinho extra para concluir as tarefas de terra. Mas, já temos nova data, e está logo aí: 6ª feira, 22/05, 13h30 daqui.

Continuamos então com o Watermaker. O Fernando passou dois dias enfiado num cubículo do banheiro, tentando fazer as ligações, enquanto eu ia e voltava da Fluid Elec (Acastilagem aqui perto) conseguir as peças que estavam faltando: levava as repetidas e negociava com o Eric, dono da loja que já está para lá de acostumado comigo, a fazer um truc (escambo)! E voltava e o Fê estava aos gritos, urros, arranhões e tudo o mais com as hidráulicas e com a ferramenta de glissement que já está ficando cansada – mas coisas pareciam estar dando certo... até que... eis que surge um fiozinho de água. E refaz conexão. E o fiozinho aparece em outro lugar. Refaz outra conexão. E refaz, e refaz. E nada de parar de vazar. No fim desse dia então, resolvemos dar uma relaxada e ir de bicicleta até a outra marina, Port Napoleon, dar uma volta. Nos primeiros 300m, o banco da minha bicicleta quebrou! Aff... Voltamos a pé. Watermaker de volta, e fomos testar. Eram só umas gotinhas, então deixamos para o dia seguinte. Fui tomar banho para encerrar o dia, e o Fê pediu pra eu chama-lo quando fosse drenar o chuveiro. Adivinha? Bomba de drenar chuveiro com problema, espirrou água com sabão do meu banho pra todos os lados! Aí começou a chover, e descobri uma gotinha de agua entrando pela gaiuta do nosso quarto (Alô @Renewboats, que saudade de vocês!). Gente que dia cretino! Acordei no dia seguinte me sentindo um lixo e me arrependendo de todas as formas de ter optado por viver em um barco. Tudo quebra, tudo vaza, tudo dá problema, tenha dó! Mas, o dia foi passando, resolvemos todos os vazamentos (com ajuda de um material que eles usam por aqui, parece um emaranhado de cabelo), almoçamos um porco delicioso, e o bom humor foi voltando. Voltou tão bem voltado que fizemos o nosso primeiro churrasco a bordo do Saba, com nossos amigos já frequentes, Sandra, Per, Roxane e Ben. Delícia de noite! No sábado, aproveitamos a ausência de lideranças aqui na marina para subir o Fernando no mastro usando um método nada convencional, que certamente seria criticado. Como só temos um cabo, ele fez uma liga de escadas à la Everest, e eu ia dando suporte nesse cabo! Passamos sábado e domingo inteiros nesse trabalho, e eu também aproveitei para desinstalar as placas solares antigas – já que chegaram as nossas novinhas em folha! Quase matamos minha sogra do coração quando ela viu a foto do Fernando empoleirado na escada, mas acho que ela já deve ter visto coisas piores, foi mal Suely ;) Faltou dizer o que é que o Fernando está fazendo no mastro né? Ele está instalando nosso radar! E está ficando PERFEITO! Hoje, na hora do almoço das lideranças, vamos subir ele provavelmente pela última vez, para ele poder terminar a parte elétrica. Já consigo ouvir o bip, bip, bip do radar na tela! E assim, como quem nem viu, a semana cheia de problemas virou uma semana cheia de soluções. O nosso barco vai para a água na 6ª sim ou sim, e temos um montão de coisas para fazer até lá! Uma semana linda para todos :)



Carol, Roxane, Sandra, Per & Ben, no nosso primeiro churrasco!

23 visualizações
  • Instagram
  • Facebook

Sailing Saba - Charters, Turismo, Férias a bordo de um veleiro na Europa - Croácia e Sardenha