• Carol Lara

Água do céu, Água do mar

Finalmente choveu. Dizem que é atípico para a nossa região ficar tantos dias sem chuva, principalmente durante a primavera, e desde que chegamos só tivemos um ou dois dias de chuva. Mas a semana passada compensou todos esses dias de sol pleno. Acordamos e dormimos de 2ª a 5ª com chuva. Acho que a pior parte de chover não é nem a chuva em si, mas deixar de ver o movimento, as pessoas e a vida acontecendo. No entanto, erra quem pensa que não tivemos o que fazer. Aproveitamos para tirar da frente alguns trabalhos de escritório que tínhamos – e rendemos bastante. Além disso, mais informações sobre o desconfinamento europeu foram chegando, e começamos a nos animar com a data do dia 11/05 – imaginando que já está aí – e que em breve nosso garotão vai botar o casco na água. Falando em água, a chuva trouxe uma mini-surpresa: encontramos um vazamento lá dos postes da linha da vida que chegava no nosso quarto. Confesso que dei uma panicadinha – mas tínhamos que esperar a chuva passar para tomar as devidas providências. Mesmo no meio da chuva nosso watermaker (um equipamento que capta água do mar e retira o sal, transformando-a em potável) chegou. E aí, fomos obrigados a lembrar de todas as aulas de física e química que tivemos (um alô pra Carol do passado que se perguntava: quando é que eu vou usar isso na minha vida?), além de engenharia que não tivemos, mas que fica a cargo do meu pai. Dito isso, nós começamos a preparar a instalação do bichão. São diversos motores, peças, encanamentos, tudo isso encaixado nos cantinhos mais secretos do barco, com sobes e desces de mangueiras – parece coisa de laboratório. Mas, nos divertimos muito nos primeiros passos dessa instalação – até descobrirmos que o fabricante nos enviou o motor errado: para os entendidos da elétrica, ao invés de ser um motor monofásico, era um motor trifásico. Pára tudo, no meio da pandemia, e toca procurar solução pra esse problema. Depois de muitas aulas de elétrica com o meu pai (que confesso, ficaram pro Fernando enquanto eu atualizava minha mãe das notícias) percebemos que o motor deveria ser trocado – e o fabricante já está mandando um novo, ufa! Isso nos deu tempo para lutarmos com os e-commerces franceses na tentativa de comprar as peças, cabos e tubulações para continuarmos com a instalação. Mas nunca vi coisa igual – parece que eles fazem tudo que podem para não venderem nada pela internet. Os sistemas de busca são dignos de piada, e as vezes, no final do carrinho, metade das coisas não podem ser entregues. Seja como for, ainda temos um pouco de peças para comprar, mas combinando 3 e-commerces diferentes e semi-desconhecidos, conseguimos comprar quase tudo que faltava – diga-se de passagem, em francês... mamelons, raccords e afins. De repente, chegou a 5ª e o sol veio junto. E aí, todas as tarefas da semana se acumularam nesses dias, gerando uma correria maluca, para ir nos nossos supermercados, lavar a roupa e resolver a tal infiltração que achamos por causa dos dias de chuva. Enquanto resolvíamos esse último assunto, o Pelé, nosso amigo sueco que mora aqui na marina com a Sandra, sua esposa, chamou a gente para uma cerveja. E tivemos uma 6ª feira deliciosa, conversando sobre os planos de vela, sobre barcos, sobre a vida a bordo, e tomando cervejas locais – bem gostosas – inclusive uma defumadinha que tenho certeza que vai combinar com churrasco! Tudo isso aconteceu e só então nos lembramos que já estamos aqui há dois meses – e que tudo vai bem, obrigada! O final de semana seguiu gostoso, e aproveitamos para dar um novo banho no barco e deixar tudo bem limpinho (e testar nosso conserto da infiltração). A proximidade com o dia do desconfinamento nos deixou muito felizes, mas também acendeu a luz amarela de que ainda temos bastante coisa para fazer no seco, antes de botarmos o barco na água – então sabemos que as próximas semanas serão super puxadas e cheias de tarefas: restam algumas de elétrica (trocar a fiação de uma das bombas de porão e a fiação da luz de top do mastro), concluir o seguro do barco, terminar a instalação do watermaker, entre tantas outras. Com tanto pra fazer, tenho certeza que assim como os dois meses essas duas semanas vão passar voando. Por enquanto, vamos aqui no nosso ritmo, curtindo cada dia que sei que vou lembrar com saudades! Bonne Journée a tous!

Refletindo sobre o desafio do Watermaker!

20 visualizações
  • Instagram
  • Facebook

Sailing Saba - Charters, Turismo, Férias a bordo de um veleiro na Europa - Croácia e Sardenha